sexta-feira, 3 de outubro de 2008

MALABARES

Abaixo o descritivo da intervenção MALABARES, criada pelo FUSO COLETIVO e uma das ganhadoras do Prêmio Interferências Urbanas 2008.


Um malabarista de sinal com bolas de tênis e claves. Sinal fechado, cena urbana, o malabarista se coloca em frente aos carros e inicia o show "circense". Ele não acerta um movimento sequer. Bolas e claves ao chão. O malabarista, maquiado como um palhaço, demonstra tristeza frente a incapacidade de realizar a performance em troca de alguns trocados. No final da apresentação desastrosa ele vai até os carros e, ao invés de pedir dinheiro, distribui notas de R$ 1,00 (um real) para cada motorista que lhe dá atenção. Uma ruptura de valores urbanos. Uma inversão nos sentidos mais banais. O circo de rua, o circo fora do circo, o espetáculo da pobreza, da sobrevivência. Nosso malabarista, um pedinte sem talento, precisa demonstrar talentos incomuns para ser visto? Obstáculos não driblados, repassados ao espectador, um mal-estar de fora pra dentro que se inverte.

Desequilíbrio culposo.

Ao abordar o carro após uma apresentação desastrosa, nosso malabarista desconstrói valores que não foram definidos pela sociedade, mas que seguem uma padrão automático, valores de um suposto código urbano. O peso e o preço de viver em uma cidade grande, a antropofagia cotidiana e as diferenças sociais são os pontos abordados por essa performance.

2 comentários:

BRUNO FUNIL disse...

Caralhooo...foda...fez pensar! Muito boa.

PROFª DIRLENE ZANLUCA CATTANI disse...

COMO DESCONSTRUIR O CONSTRUIDO?
CONVERSO MUITO COM MEUS ALUNOS SOBRE A REALIDADE DAS RUAS.
É CERTO UM GAROTO FAZER MALABARISMO COM BOLINHAS DE TÊNIS, LIMÕES...PARA GANHAR UNS MÍSEROS TROCADOS?
ELE NÃO DEVERIA ESTAR ESTUDANDO PARA TER UM "FUTURO" MELHOR?
TALVÉS O CIRCO NÃO FOI PARA AS RUAS E SIM O CIRCO ESTÁ NAS RUAS!
ABRAÇOS